O mensalão e a piada do professor de matemática.

“Ele acha que as denúncias que o atingiram e ao PT “serão esclarecidas, esquecidas e acabarão virando piada de salão”. (Delúbio Soares, professor de matemática e ex-tesoureiro do PT e acusado de ser o personagem-chave no caso do mensalão).

Apresentadas a acusação e a defesa dos principais reus na Ação Penal 470 (Mensalão), que corre no Supremo Tribunal Federal, ficou evidente que não restam dúvidas sobre o fato da compra de parlamentares com cargos e pagamentos com dinheiro público e privado através de fraudes, falsidade ideológica, sonegação fiscal, lavagem de dinhiro e formação de quadrilha.

A compra de votos não foi comprova. Mas isso já era de se esperar, pois a compra de votos de parlamentares é feita através da liberação de emendas parlamentares. Cada parlamentar pode indicar emendas de seu interesse, para o seu curral eleitoral, no valor de até R$ 5 milhões.

É fato que o sistema político brasileiro não permite que o parlamentar eleito tenha vínculo de compromisso efetivo com os seus eleitores. Pior que isso: o parlamentar fica refém dos seus patrocinadores, muitos dos quais fainanciaram sua campanha eleitoral de forma ilegal, através do famigerado caixa 2.

Nesse contexto brasileiro, soa hipócrita dizer que o “mensalão do PT” seja o maior escândalo de corrupção no Brasil, pois nem mesmo é original: foi criado em 1998; foi o PSDB que inaugurou esta modalidade na campanha de reeleição do governador mineiro Eduardo Azeredo, arrecadando dinheiro via contratos fictícios de propaganda, destinando tais recursos para financiar a campanha eleitoral até mesmo de candidatos à presidência do Brasil. Isso tudo sem falar na compra  para garantir a aprovação da emenda constitucional para a reeleição de Fernando Henrique Cardoso.

Escândalos por escândalo, nunca devemos nos esquecer das privatizações feitas no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, quando, no “limite da irresponsabilidade”, venderam a preço de banana a Companhia Vale do Rio Doce e também o Sistema Telebrás (avaliado em R$ 80 bilhões e vendido por R$ 17 bilhões).

No caso específico da Ação Pena 470 do STF, esperamos que todos os acusados sejam condenados e tenham suas penas estabelecidas conforme a suas responsabilidades e suas participações na quadrilha criminosa.

Finalmente, esperamos poder contar às futuras gerações a piada de um professor de matemática que levantou um empréstimo de R$ 60 milhões dando como única garantia uma estrelinha vermelha de 5 pontas, em 2003… a piada ficará mais engraçada quando informamos que, 9 anos depois, o professor de matemática e seu comparsas foram condenado a cumprir penas nas cadeias brasileiras.

P.S.: Em Breve, assista “Mensalão 2 – A Origem” (Ação Penal 536 do STF), com o senador tucano Eduardo Azeredo e Marcos Valério. Participação especial da mais alta elite tucana nacional.

Mauro Alves da Silva
https://blogdomaurosilva.wordpress.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s