Arquivo da categoria: Jabaquara

50 tons de cinza dos vereadores que votam contra o Jabaquara.


Grêmio SER Sudeste – Promoção da Cidadania e Defesa do Consumidor
http://www.gremiosudeste.wordpress.com

50 tons de cinza dos vereadores que votam contra o Jabaquara.

O PL 722-2015 transfere investimentos do Jabaquara para a região da Berrini, Pinheiros e Chucri Zaidan. Mais R$ 4 bilhões sem investigar onde torraram os outros R$ 4 bilhões…

Em uma ilegal sessão extraordinária da Câmara Municipal de São Paulo, 50 vereadores aprovaram o PL 722-2015. O PL atende aos interesses inconfessáveis das grandes construtoras e da especulação imobiliária (conforme palavras do presidente Milton Leite).

Embora estejam noticiando que o PL 722-2015 (com modificações) é para arrecadar dinheiro para a construção de moradias populares, a própria apresentação do PL já confessa que o objetivo é a especulação imobiliária:
“Aprova o Plano Urbanístico Complementar do Setor Chucri Zaidan da Operação Urbana Consorciada Água Espraiada, nos Distritos de Santo Amaro e Itaim Bibi”.

Especulação imobiliária
A especulação imobiliária ficou evidente no dispositivo referente aos CEPACs (Certificados de Potencial Adicional de Construção): transferiram 250 mil metros quadrados do Jabaquara para a região da Berrini, Pinheiros e Chucri Zaidan. E não digam que essa transferência é “impessoal”, pois o representante da Secretaria Municipal de Urbanismo disse que já foi procurado por investidores; e que não existe interesse em investir no Jabaquara (ata da audiência pública de 19-08-2018)…
Não será surpresa se já houver planos para a construção de um shopping center na região…

A enganação com as moradias sociais.
É evidente que estão utilizando a legitima mobilização dos movimentos populares para, na verdade, levantar recursos bilionários para atender às construtoras e à especulação imobiliária.
Embora o projeto de lei 722-2015 determine que se gaste 30% dos valores arrecadados com moradia popular, o prazo é de até 5 anos… e não tem metas anuais… e não tem quem fiscalize…
E não informa que foram contratadas somente 4 mil moradias (em licitação fraudada);
E não diz nada sobre as outras 8.500 famílias já cadastradas;
E ignora 20 mil famílias carentes na região de Americanópolis, Jd, Lourdes e Vila Clara;
E acaba com o direito dos inquilinos também serem inscritos em programas habitacionais;
E acaba com o direito dos moradores atingidos pelas obras continuarem morando no Jabaquara…

50 tons de cinza dos vereadores paulistanos
É óbvio que os 50 vereadores votam contra o Jabaquara por interesses diversos. Mas o que os une é o fato de nenhum deles representar o Jabaquara. Aliás, faz mais de 30 anos que o Jabaquara não elege um seu represente para a Câmara Municipal, embora tenha 240 mil moradores, sendo 180 mil eleitores registrados. Estes 50 vereadores só vem ao Jabaquara de 4 em 4 anos para beliscar alguns votos…
Mesmo com a construtora Odebrecht confessando a fraude na licitação do túnel bilionário (e das 4 mil moradias), os 50 vereadores não querem a instalação de CPI para investigar a Operação Urbana, pois:
– alguns têm rabo preso com a construção da Ponte Estaiada (custou R$ 360 milhões);
– alguns têm rabo preso com a aprovação do Túnel de R$ 3 bilhões (mudança na lei em 2011);
– alguns têm rabo preso com o prefeito denunciado por receber 21 milhões em propinas;
– alguns têm rabo preso com a associação imobiliária que ilegalmente fez doações em 2008;
– alguns têm rabo preso com o governador, e não querem investigar a verba dada o Metrô (R$ 390 mi);
– e alguns vereadores votam qualquer coisa, desde que aprovem seus projetos de títulos e honrarias…

Mais uma vez a Câmara Municipal de São Paulo virou as costas para a população paulistana. Embora o voto tenha sido contra o Jabaquara, a conta maior vai para todos os paulistanos, pois a venda de títulos (CEPACs) não é suficiente para pagar as obras de infraestrutura e nem as propinas inerentes a estes tipos de contratos, que não são fiscalizados pela Câmara. Então, só nos resta recorrer ao Judiciário.

São Paulo, 23 de agosto de 2018.
Mauro Alves da Silva – jornalista e Presidente do Grêmio SER Sudeste.
Cel.: 11-954544193 – e-mail: mauro_gremio@hotmail.comhttp://www.gremiosudeste.wordpress.com

Reunião do Conseg Jabaquara em 16-04-2018.

Aconteceu nesta terça-feira (16/04) mais uma reunião do conselho de segurança comunitária do Jabaquara, sob presidência da Mirian Bock, na Associação Amigos da Cidade Vargas.
A reunião contou com a presença de José Luiz Nodar Ribeiro (Secretário Geral do Consabeja), Rosa Oliveira (Jornal Jabaquara em Notícias, Osmar Pereira Machado (superintendente da da Distrital centro Sul da Associação Comercial), entre outros…
Embora as autoridades presentes tenham afirmado que houve diminuição das ocorrências policiais, a sensação da população é de que está havendo uma onda de assaltos em toda a região.
A orientação da polícia pe de que sempre se faça o Boletim de Ocorrência (B.O>), pois só assim a autoridades policias ficam sabendo da real situação.
Uma moradora, que teve a cassa assaltada três vezes, reclamou do atendimento da delegacia: levam mais de 4 horas para fazer um B.O.
O delegado representante da policia civil disse que temos caos de prioridade: flagrantes e óbitos (muitos vindos do Hospital Sabóya).
Mauro Alves da Silva,jornalista e presidente do Grêmio SER sudeste, informou que não existe a necessidade de se fazer o B.O. de forma presencial. Pode-se fazer uma petição ao delegado do distrito policial para que instaure uma investigação da notícia-crime:
“Notitia criminis, ou notícia-crime, é o conhecimento de um fato criminoso, que se leva à autoridade. Ela pode se materializar por meio de um boletim de ocorrência ou de uma petição, entre outras formas, e pode ser dirigida ao delegado de polícia, ao Ministério Público ou ao juiz. A lei não impõe rigor formal, mas devem estar presentes na comunicação a narrativa do fato em todas as suas nuances e a indicação (com possível qualificação) de quem é provável autor do crime”.
A Petição deve ser feita em 2 vias e protocolada no cartório da delegacia.
Também existe a possibilidade de se enviar a petição via Carta Registrada.
Apesar da reunião do Conseg ser sobre “segurança pública”, muitos moradores levam casos de zeladoria, trânsito e transporte.
O caso mais emblemático é o do Expo São Paulo, centro de exposições que vem há vários anos causando transtornos aos moradores do bairro da Cidade Vargas. Nos dias de eventos, quase todas as semanas, a região fica com as rua intransitáveis. As obras de compensação do impacto de vizinhanças nunca foram feitas e as autoridades pulicas são omissas ou coniventes com a protelação. Os moradores ameaçam fazer protestos fechando as ruas do bairro.

Vejam as fotos aqui.

Vejam os vídeos aqui.

São Paulo, 16 de abril de 2018.
Mauro Alves da Silva, jornalista e presidente do Grêmio SER Sudeste – Promoção da Cidadania e Defesa do Consumidor.
http://www.gremiosudete.wordpress.com

Inauguração Fake: inauguração de obra inexistente.


Lembram quando o prefeito João Dória e a prefeita Regional do Jabaquara inauguraram, em 10 de março de 2018, um “playground” de mentirinha? Na praça da Rua Soares de Avelar s/nº?
O “playground fake” foi retirado dois dias depois… o motorista do caminhão disse que os equipamentos seriam utilizados na inauguração de outra praça…
Pois bem. Neste dia 12 de abril de 2018, passados mais de 30 dias da “inauguration fake”, finalmente a prefeita regional do Jabaquara reconheceu que foi uma inauguração de mentirinha: ela acabou de contratar uma empresa por R$ 80 mil reais para finalmente instalar o playground na praça…
“JABAQUARA
GABINETE DA PREFEITA REGIONAL
(…)
EXTRATO DO TERMO DE CONTRATO Nº 01/PR-JA/2018.
ATA DE RP Nº 023/SMSO/17
Processo: 6042.2018/0000139-3
CONTRATANTE: PREFEITURA REGIONAL JABAQUARA – PR-JA
CONTRATADA: CONSTRUTORA LETTIERI CORDARO LTDA –
CNPJ 07.879.965/0001-45
OBJETO DO CONTRATO: Contratação de serviços gerais
de manutenção preventiva, corretiva, reparações, adaptações
e modificações, de acordo com o Decreto nº 29.929/91 e al-
terações posteriores, no para Execução de Área de Lazer com
Instalação de Playground e Equipamentos de Ginástica na Rua
Soares de Avelar, s/nº.

PRAZO DO CONTRATO: 60 (sessenta) dias corridos
VALOR TOTAL: VALOR: R$ 80.000,00 (OITENTA MIL REAIS)
DOTAÇÃO ONERADA: 55.10.15.451.3022.1170.4.4.90.39.00″
(Diário Oficial do Município de São Paulo, 12/04/2018, pág. 78)

Será que a prefeita regional do Jabaquara vai convidar o ex-prefeito João Dória para reinaugurar o playground que ele inaugurou de mentirinha em 10 de março de 2018?

São Paulo, 12 de abril de 2018.
Mauro Alves da Silva, jornalista e presidente do Grêmio SER Sudeste – Promoção da Cidadania e Defesa do Consumidor.
http://www.blogdomaurosilva.wordpress.com

Jabaquara 54: Festa organizada pela comunidade respeita as crianças.


A Comissão Organizadora da Festa de Aniversário do Jabaquara 54 anos fez questão de valorizar a participação das crianças, seja no lazer e nos esportes, seja nas apresentações musicais. Houve vários cantores mirins que se apresentaram nos palcos dias 24 e 25 de fevereiro de 2018.

Pela primeira, vez nestes últimos 20 anos, a comunidade local não teve apoio da Prefeitura Regional do Jabaquara para a realização da Festa de Aniversario do Jabaquara 54 anos. Tivemos de contar com o apoio da Câmara Municipal de São Paulo, das associações e lideranças comunitárias e empresariais locais.
A prefeita regional preferiu contratar uma empresa de eventos do Ipiranga (sem licitação) e usar as verbas dos patrocinadores para a realização de uma corrida (em região de risco de Febre Amarela) e um show com um grupo musical da zona norte e outro cantor do Rio de Janeiro.
Pior que isso foi o fato da prefeitura regional interferir junto aos patrocinadores tradicionais da Festa de Aniversário do Jabaquara. Tal interferência fez com que uma empresa cancelasse o patrocínio dos lanches e medalhas para as crianças. A verba foi destinada para uma corrida de rua com atletas maiores de 18 anos.

A imagem acima mostra claramente a visão distorcida de quem não conhece o Jabaquara e não tem compromisso com a comunidade local nem com as crianças: organizaram um show de funk em plena Avenida Santa Catarina, com venda de bebidas alcoólicas, e reservaram o teto dos banheiros químicos para as crianças do Jabaquara.

São Paulo, 16 de março de 2018.
Mauro Alves da Silva, jornalista e presidente do Grêmio SER Sudeste – Promoção da Cidadania e Defesa do Consumidor.
http://www.blogdomaurosilva.wordpress.com

Concurso Fantasma Miss & Mister Jabaquara 2018…


A prefeitura regional do Jabaquara alega que não tem nenhum documento sobre o concurso “Miss & Mister Jabaquara 2018”!!!

Inacreditável que não haja nenhum despacho oficial sobre o evento “Miss & Mster Jabaquara 2018”.

No nosso pedido via Lei de Acesso à Informação (Lei Federal 12.527/2011), apresentamos o seguinte recurso:
“Alguém deve ter determinado que o evento fosse colocado no site da Prefeitura Regional do Jabaquara.
Alguém deve ter determinado que fosse feito um cartaz do evento.
Alguém deve ter determinado que o cartaz do evento fosse afixado na entrada da sede da Prefeitura Regional.
Alguém deve ter determinado que o evento fosse suspenso por tempo indeterminado.
A Prefeita Regional do Jabaquara deveria estar ciente do evento, pois o mesmo teve um cartaz de divulgação afixado na entrada da sede da Prefeitura Regional do Jabaquara.
Este caso aparenta sonegação de informações”.

Se não tiver alguém assumindo as responsabilidades, significa que O Concurso Fantasma foi organizado por “ninguém” da Prefeitura Regional do Jabaquara. Ou seja: por um “fantasma”!!!

São Paulo, 12 de março de 2018.
Mauro Alves da Silva, jornalista e presidente do Grêmio SER Sudeste – Promoção da Cidadania e Defesa do Consumidor.
http://www.blogdomaurosilva.wordpress.com

***
Detalhes do pedido
Protocolo: 028374
Interessado: Mauro Alves da Silva
Data de abertura: 02/02/2018
Órgão: Prefeitura Regional do Jabaquara
Forma de recebimento da resposta: E-mail
Descrição da solicitação: 02. Data 02-02-2018. Órgão: Prefeitura Municipal do Jabaquara. Prefeitura do Município de São Paulo. Resumo do Pedido: Solicito informações sobre o evento “Miss e Mister Jabaquara 2018”. Pedido: Solicito informações sobre o evento “Miss e Mister Jabaquara 2018”, noticiado no sie da Prefeitura Regional do Jabaquara (texto abaixo), apresentado-se cópias de todos os documentos relacionados à aprovação do evento “Miss e Mister Jabaquara 2018”: proposta inicial, termo de parceria (ou equivalente), contrato de cessão do espaço na Prefeitura Regional do Jabaquara, relação de funcionários cedidos para a organização do evento, despachos da Prefeita Regional solicitando doações de particulares (se houver) etc. “Inscrições abertas para o concurso de Miss & Mister Jabaquara 2018 A Prefeitura Regional do Jabaquara vai realizar com exclusividade o primeiro concurso da categoria em comemoração aos 54 anos do bairro 12:18 30/01/2018 FacebookTwitter Em 02 de março inicia-se a agenda de comemoração do aniversário do Jabaquara. Entre as muitas atrações previstas está o Concurso de Miss & Mister Jabaquara, com o intuito de valorizar os jovens do bairro e permitir que os mesmos sejam inseridos em uma carreira de modelo e outros concursos. As inscrições podem ser feitas na Prefeitura Regional do Jabaquara, Avenida Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 2314, entre os dias 29 de janeiro e 09 de fevereiro, das 08 às 17h. O concurso irá acontecer no Clube Vila Guarani, com participação de júri imparcial composto por profissionais da área de beleza, jornalistas e autoridades. Os candidatos serão selecionados com base nos critérios de beleza, simpatia, elegância e desenvoltura. Como premiação os primeiros colocados receberão além de faixa e coroa, um book profissional e um curso de manequim. Para efetivar a inscrição, as candidatas e candidatos deverão preencher os seguintes requisitos: ser cidadã brasileira; ser residente no distrito do Jabaquara; ter entre 18 e 26 anos de idade na data da realização do evento ; apresentar no ato da inscrição cópia de comprovação de residência; cópia da carteira de identidade e/ou certidão de nascimento que atestem a idade; assinar no ato da inscrição termo de autorização de uso de imagem e uma foto tamanho 10×15 cm de rosto e corpo. Confira o regulamento do evento clicando aqui.” São Paulo, 2 de fevereiro de 2018. Mauro Alves da Silva

Resposta do pedido
Data Resposta: 23/02/2018
Resposta:
Prezado,
Informamos que o evento Miss e Mister Jabaquara 2018 está temporariamente suspenso, sem data definida para sua realização e podendo receber alteração. Quando o mesmo for reativado, o seu regulamento e as demais informações estarão disponíveis no portal da Prefeitura Regional do Jabaquara (www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/regionais/jabaquara/).
Atenciosamente
Cecília Sandra Magwitz
Chefe de Gabinete
(Designada)
Abertura de recurso 1ª instância
Data da Solicitação: 05/03/2018
Solicitação: Não respondeu a nenhum dos pedidos. O agente público tem de justificar os seus atos. Foram solicitadas “cópias de todos os documentos relacionados à aprovação do evento “Miss e Mister Jabaquara 2018”: proposta inicial, termo de parceria (ou equivalente), contrato de cessão do espaço na Prefeitura Regional do Jabaquara, relação de funcionários cedidos para a organização do evento, despachos da Prefeita Regional solicitando doações de particulares (se houver) etc”. A suspensão do evento não desobriga o agente público da prestação da informações solicitadas.
Resposta do recurso 1ª instância
Data da Resposta: 09/03/2018
Resposta: Prezado, Conforme informamos anteriormente, não dispomos dos documentos solicitados porque não houve nenhuma contratação e tampouco o evento. Atenciosamente Cecília S. Magwitz Chefe de Gabinete (Substituta)
Abertura de recurso 2ª Instância
Data da solicitação: 12/03/2018
Tipo de recurso: Informação incompleta
Solicitação:
Inacreditável que não haja nenhum despacho oficial sobre o evento “Miss & Mister Jabaquara 2018”. Alguém deve ter determinado que o evento fosse colocado no site da Prefeitura Regional do Jabaquara. Alguém deve ter determinado que fosse feito um cartaz do evento. Alguém deve ter determinado que o cartaz do evento fosse afixado na entrada da sede da Prefeitura Regional. Alguém deve ter determinado que o evento fosse suspenso por tempo indeterminado. A Prefeita Regional do Jabaquara deveria estar ciente do evento, pois o mesmo teve um cartaz de divulgação afixado na entrada da sede da Prefeitura Regional do Jabaquara. Este caso aparenta sonegação de informações.

Anexos

Situação
Situação: 2ª instância em tramitação
Prazo de atendimento: 30/03/2018

Histórico
Data Situação Justificativa Responsável
02/02/2018 Em tramitação Pedido Registrado no Sistema
23/02/2018 Atendido Prezado, Informamos que o evento Miss e Mister Jabaquara 2018 está temporariamente suspenso, sem data definida para sua realização e podendo receber alteração. Quando o mesmo for reativado, o seu regulamento e as demais informações estarão disponíveis no portal da Prefeitura Regional do Jabaquara (www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/regionais/jabaquara/). Atenciosamente Cecília Sandra Magwitz Chefe de Gabinete (Designada) Priscila Cristina Anastacio
05/03/2018 1ª instância em tramitação Não respondeu a nenhum dos pedidos. O agente público tem de justificar os seus atos. Foram solicitadas “cópias de todos os documentos relacionados à aprovação do evento “Miss e Mister Jabaquara 2018”: proposta inicial, termo de parceria (ou equivalente), contrato de cessão do espaço na Prefeitura Regional do Jabaquara, relação de funcionários cedidos para a organização do evento, despachos da Prefeita Regional solicitando doações de particulares (se houver) etc”. A suspensão do evento não desobriga o agente público da prestação da informações solicitadas.
09/03/2018 1ª instância deferida Prezado, Conforme informamos anteriormente, não dispomos dos documentos solicitados porque não houve nenhuma contratação e tampouco o evento. Atenciosamente Cecília S. Magwitz Chefe de Gabinete (Substituta) Priscila Cristina Anastacio
12/03/2018 2ª instância em tramitação Inacreditável que não haja nenhum despacho oficial sobre o evento “Miss & Mister Jabaquara 2018”. Alguém deve ter determinado que o evento fosse colocado no site da Prefeitura Regional do Jabaquara. Alguém deve ter determinado que fosse feito um cartaz do evento. Alguém deve ter determinado que o cartaz do evento fosse afixado na entrada da sede da Prefeitura Regional. Alguém deve ter determinado que o evento fosse suspenso por tempo indeterminado. A Prefeita Regional do Jabaquara deveria estar ciente do evento, pois o mesmo teve um cartaz de divulgação afixado na entrada da sede da Prefeitura Regional do Jabaquara. Este caso aparenta sonegação de informações.

Prefeitura Regional do Jabaquara inaugura um playground fake.


A Prefeitura Regional do Jabaquara se superou na “jestão” (com jota) propagada pela nova administração: inaugurou um playground de mentirinha no Jabaquara, no último sábado, dia 10.

Nesta segunda feira (12), os moradores do Jabaquara foram surpreendidos com a chegada de um caminhão da prefeitura regional, que retirou todos os brinquedos da praça. Segundo o motorista, os brinquedos seriam levados para a inauguração de outra praça!

Fontes ligadas à Prefeitura Regional do Jabaquara alegam que os brinquedos foram retirados porque “a base de concreto ainda estaria fresca; e que não permitira a afixação dos parafusos (…) e que os brinquedos seriam recolocados na próxima quinta feira”.

A inauguração do “playgroud fake”, no sábado (10), contou com a presença do prefeito João Dória, secretários e vereadores da base governista.

O prefeito João Dória vai cobrar estas novas despesas com o dinheiro da população paulistana ou vai demitir a prefeita regional e colocar alguém que entenda de gestão pública?

São Paulo, 12 de março de 2018.
Mauro Alves da Silva, jornalista e presidente do Grêmio SER Sudeste – Promoção da Cidadania e Defesa do Consumidor.
http://www.blogdomaurosilva.wordpress.com

Quanto vale um cadastro com o nome e endereço de 2 mil atletas para uma empresa ou para um político?


Quanto vale um cadastro com o nome e endereço de 2 mil atletas para uma empresa ou para um político?

A “1ª Corrida de Rua do Jabaquara” teve a participação de 2 mil atletas e um público de 4 pessoas.

Qual é o objetivo de criar uma grande estrutura, com uso de verbas públicas, para realizar um evento esportivo que dura menos de 30 minutos, realizado as 7h da manhã de um domingo, em um local de difícil acesso para a população, e em área interditada por risco de Febre Amarela?

Deve ser para ter acesso ao cadastro de 2 mil atletas, estúpido!

Explico: o regulamento da Corrida exigia que cada atleta assinasse o seguinte termo:
Declaro que: (…) Estou ciente que, ao ser convidado, me cadastrar ou me inscrever no EVENTO, me incluirei automaticamente no banco de dados da Prefeitura Regional Jabaquara, autorizando, desde já, o envio para o endereço eletrônico ou físico cadastrado, qualquer tipo de correspondência eletrônica ou física para participar de qualquer promoção ou ação promocional e programas de incentivo, bem como comercial, desenvolvida pela mesma e/ou por seus parceiros.

Já imaginaram este cadastro na mão de um político em anos eleitoral?

Já imaginaram a Prefeitura Regional do Jabaquara mandando mala direta para os 2 mi atletas? Mandando fotos do evento e da sua parceria com o vereador João Jorge?

A “Corrida da Morte por Febre amarela” já está sendo denunciada ao Ministério Público Criminal por suspeita de negligencia criminosa ao não se alertar aos atletas e ao público que o local é área de risco de Febre amarela. Agora, também enviaremos noticia à Promotoria Eleitoral para que bloqueie a distribuição e uso dos dados dos atletas para qualquer uso neste ano eleitoral.

São Paulo, 4 de março de 2018.
Mauro Alves da Silva, jornalista e presidente do Grêmio SER Sudeste – Promoção da Cidadania e Defesa do Consumidor.
http://www.blogdomaurosilva.wordpress.com